Para quem quer ajudar, mas não mensalmente.


Muitas pessoas preferem ajudar de outra forma, sem o compromisso de contribuir mensalmente.
Sem problemas! Uma opção é contribuir de forma esporádica, quando for possível.

Lar Temporário da Cid - Toca dos Gatinhos

Seguem fotos de um dos lares temporários da Toca dos Gatinhos, o da Cid Coelho, na Zona Leste de São Paulo.  

Mãezinha cuidando dos bebezinhos

Almofadas, caminhas, arranhador: tudo planejado para os gatinhos viverem num ambiente alegre



Enquanto uns dormem, outros brincam entre si. 
Até as prateleiras viram locais para acomodar os bichaninhos 


Um monte de banheirinhos...
Manter tudo limpo dá bastante trabalho.

Mamãe cuidando dos pequeninos.
O apadrinhamento ou a ajuda eventual ajudam a mantermos o projeto.

Como funciona o apadrinhamento de gatos da Toca dos Gatinhos?




Ser padrinho ou madrinha da Toca dos Gatinhos significa contribuir mensalmente com uma quantia que você mesmo escolhe, uma quantia que caiba no seu bolso e no seu coração ao mesmo tempo.

Boa parte dos padrinhos contribui com 30 reais mensais, mas há os que contribuem com menos, outros com mais.

Há quem prefira apadrinhar um gato específico, outros preferem ser padrinhos ou madrinhas gerais, sem especificar qual gato será apadrinhado.

Um mesmo gato pode ter mais de um padrinho, pois a doação é utilizada para ajudar as despesas de todos os nossos gatos, principalmente daqueles que por serem pretos, adultos ou ferais (gatos não sociáveis), tem chances mínimas de adoção.

Há pessoas que preferem ajudar de outras formas, pois não se encaixam no perfil do apadrinhamento, ou seja, de ter que contribuírem mensalmente, e preferem dar contribuições esporádicas, ou contribuir com ração, medicamentos, comprando nossos calendários anuais, etc.

O dinheiro arrecadado é gasto com ração, veterinários, gastos com veterinários e, dentro do possível, pagando castração para pessoas carentes, o que evita mais abandonos e crias indesejadas.

O apadrinhamento pode ser pago via depósitos ou transferências ao Banco do Brasil, Itaú ou Caixa Econômica Federal - nesse último caso os depósitos podem ser feitos em lotéricas. 

Dá também para fazer o pagamento pelo site vakinha, ou por meio de boleto que você mesmo emite, ou pagando pela Internet por meio dos bancos conveniados ao vakinha.

Escolha a forma de pagamento mais fácil para você e contate nosso email: tocadosgatinhos@gmail.com

Você também pode encaminhar suas dúvidas ou sugerir outras formas de ajudar.  

Vai-Vai: um gato delicado, mas feral com pessoas

O Vai Vai é um gato que está sob nossos cuidados por ser feral, ou seja, não é sociável com pessoas.
Nasceu na rua e deve ter sofrido maus tratos na infância.
 

MURICY (BRANQUINHO)

O Muricy era hostilizado numa escola da Zona Sul de São Paulo, onde ganhava vassouradas. Ele é arisco com pessoas, mas gosta de conviver com outros gatos. Na foto, ele está pageando 2 filhotinhos.

O Muricy nunca será adotado e precisa de apadrinhamento.

FRAJOLÃO


O Frajolão foi encontrado em local em que corria perigo. Foram várias as tentativas de conseguir adoção para ele, tendo sido levado dezenas de vezes para as feiras de adoção, onde ficava muito estressado. Apresenta temperamento instável (ora sociável, ora irritado), o que fez com que desistíssemos da adoção dele. Assim, agora é um dos gatos adultos residentes definitivos. Precisa de um ou mais padrinhos/madrinhas para custear suas despesas. 
Para saber como ajudar, contate tocadosgatinhos@gmail.com

MOMO (TEM UMA PERNA A MENOS)

O Momo já é veterano no lar provisório. Não se sabe o que aconteceu no curso de sua vida fora de lá. Quando chegou já tinha apenas tr ês patas. Por isso, não contamos com sua adoção.

HYPÓLITO

É um frajolinha castrado, e muito saudável.


Ele é meigo e "ronronento". Porém, ninguém sabe o que se passou em sua curta vidinha até chegar a nós. Certamente viveu momentos difíceis que o tornou assustado e medroso. Foi resgatado quando sofria maus tratos por crianças inescrupulosas e sem coração. Hoje é um gatinho triste, que não sabe brincar, não corre atrás de uma bolinha, não conhece a alegria de viver.

Por isso, ele não consegue adoção.
Você pode ser o seu padrinho...

ZECA

O Zeca não consegue encontrar um lar definitivo, por causa de sua personalidade arredia e rebelde. A aspereza da vida nas ruas o tornou arisco, em defesa de sua própria sobrevivência.


Seja seu padrinho ou madrinha!

TORTINHA,

Não é sem razão que ela tem esse nome: ela tem um problema neurológico, que faz com que ela ande com a cabeça pendendo para o lado esquerdo. Esta é a razão de não conseguir adoção.

SACHA

A Sacha é uma linda gatinha tigrada, saudável, meiga, carinhosa, simpática, enfim, tudo de bom!
E, por que encalhou????
Finalmente, a doce Sacha encontrou um anjo disposto a ajudá-la. É a Fernanda M. H., que a partir de agora é a madrinha da Sacha.

PRETINHOS, PAINEL 1

POLIANA.

 
A Poliana já sofreu muito nessa vidinha e ficou arisca demais, a ponto de não poder ser doada. Mas, ela precisa de uma madrinha ou padrinho que contribua mensalmente com suas despesas.

MIMI

Não posso ser adotada porque sou muito arisca. Tenho medo de gente. Vou ter que morar na Toca dos Gatinhos para sempre por causa disso. Mas você pode me apadrinhar e ajudar a Toca a cuidar de mim.

FERRUGEM,

A Ferrugem também teve uma família, que não soube respeitá-la e tratá-la com a dignidade que todo animal merece.


Veio para a casa da Ivanilde também com sua cria. Os filhotes, como sempre, encontraram o seu lar definitivo. E, ela continua a espera, mas nunca rejeitada...

ELIFAZ

O Elifaz é um gatão tigrado, imperioso, muito orgulhoso, não gosta de se misturar aos demais. Vive na mais alta de todas as prateleiras da estante, observando tudo o que acontece sob seu olhar enigmático...

DEISE

A Deise é extremamente assustada. Ela foi retirada da "Cracolândia", depois de ser judiada. Ela não gosta de humanos, então não será doada. Mas, ela tem despesas e procura uma madrinha ou padrinho para ajudá-la a viver.


Apesar da vidinha difícil dessa linda gatinha, ela começa o ano de 2010 com a "pata direita". O César e a dra. Carla Batistella são padrinhos da Deise.

DARINHA

Darinha, a mais tímida de todos os gatinhos abrigados, teve a felicidade de encontrar sua madrinha, FERNANDA, uma pessoa de grande coração, que se sensibilizou com as dificuldades enfrentadas pela sua "afilhada" e assumiu o compromisso de apadrinha-la.